quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Para a história do vitral no Brasil

Acabou de ser colocada online a seguinte tese:

Regina Lara Silveira Mello, Casa Conrado: Cem anos do vitral brasileiro, tese de mestrado, Campinas, Universidade Estadual de Campinas, 1996, aqui.

Resumo:

O trabalho conta a história do ateliê pioneiro na fabricação do vitral no Brasil, a Casa Conrado, e registra esta atividade essencialmente artesanal, que se encontra em processo de extinção. Em 1874 chega a São Paulo o artesão Conrado Sorgenicht, vindo da Renânia católica, Alemanha. Abre uma pequena oficina onde oferece serviços de pintura de ornamentos, tapeçaria e colocação de vidros para vidraças. São Paulo cresce, a clientela aumenta e o ateliê começa a criar também vitrais. Em 1889, é fundada a Casa Conrado, que desenvolveu a atividade do vitral, criando mais de 600 obras espalhadas por todo o Brasil, 144 registradas neste trabalho. Em cem anos de atividade, o ateliê viveu dois períodos áureos, aproximadamente de 1920 a 35, e -de 1950 a 65, quando foram feitos os vitrais mais interessantes. Foi selecionado um grupo representativo de obras, ressaltando aspectos relevantes em cada vitral, como sua implantação no conjunto arquitetõnico e aproximações com a pintura, apontando as principais parcerias dos vitralistas com arquitetos e artistas em cada época. Aanálise destas informações permite o entendimento da artesania do vitral no sentido mais amplo, de como ela se deu no Brasil, e mais especificamente, como foi feita no ateliê Casa Conrado. Ao final explico de forma clara e simples, como se faz um vitral em todas as etapas de sua criação. Apresento uma lista de obras, com alguns dados levantados e confirmados sobre cada uma, e três conjuntos de vitrais com o fichamento completo, o embrião de um Catálogo Geral da Casa Conrado. Este trabalho também deverá apoiar solicitações de tombamento das principais realizações ao Patrimõnio Histórico e Artístico, e contribuir para que este cuidado também seja estendido aos conjuntos arquitetônicos onde o vitral está implantado

Comentários:

Anónimo :

Li os artigos, superficialmente, mas é bom saber dos profissionais atuantes da àrea de restauro, continue assim, parabéns.

Eunice :

Sou estudante de Turismo, minha matéria preferida é História da Arte, em todas visitas ao patrimônio histórico da São Paulo eu encontro a Casa Conrado na assinatura dos vitrais (Catedral da Sé,Faculdade de Direito Do Largo São Francisco,Teatro Municipal,Mercado Municipal).Estou maravilhada com tanta beleza e capricho.Eu não sei se existe um Museu da Casa Conrado, caso não exista é hora de homenagear tanta beleza. Obrigada,Eunice Campiteli.

Rose :

Olá, parabéns pelo tema,há tempos procuro saber se ainda existe a Casa Conrado, ou pessoas da família que ainda trabalhem com vitrais, você teria essas informações?

Obrigada,
Rose.
rperussi@terra.com.br

Comentário de António João Cruz :

Não tenho mais nenhuma informação.

Anónimo :

Existe um painel assinado por Conrado Sorgenicht na rua Cincinato Braga ,535 Entrada principal do Edificio Joelma Aristocrata e no Hall interno paineis em alto relevo também de autoria de Conrado Sorgenicht.Gostaria que houvesse interesse em conservação já que é considerado como patrimonio cultural.