domingo, 7 de janeiro de 2007

As múltiplas edições de Vitrúvio

O tratado De Architectura, de Marco Vitrúvio Polião, escrito no século I a.C., muito provavelmente depois de 27 a.C., tem tido uma fortuna editorial sem par entre os livros técnicos. Desde 1486, data em que teve a primeira edição impressa, em Roma, têm-se sucedido as edições do texto latino e as traduções em diversos idiomas.

Os dez livros em que está dividido o tratado abordam tudo o que directa ou indirectamente tem que ver com a arquitectura, desde a escolha do local onde deve ser implantado um edifício até à preparação das argamassas e dos pigmentos a usar nas suas paredes. Além disso, tratam também de assuntos que, de forma alguma, esperaríamos encontrar hoje num volume dedicado à arquitectura – como, entre muitos outros, o do famoso episódio de Arquimedes a gritar Eureka! pelas ruas, que faz parte da mitologia da ciência.

Traduções integrais para português, já foram publicadas três:

  • H. Rua (ed.), Vitrúvio. Os Dez Livros de Arquitectura, Lisboa, Departamento de Engenharia Civil, Instituto Superior Técnico, 1998.
  • Marco Aurélio Lagonegro (ed.), Marco Vitrúvio Polião. Da Arquitectura, São Paulo, Hucitec - Annablume, 1999. 2.ª edição: 2002.
  • M. Justino Maciel (ed.), Vitrúvio. Tratado de Arquitectura, Lisboa, IST Press, 2006.

Existe também tradução da parte respeitante aos pigmentos usados em pintura:

  • António João Cruz, "As cores vitruvianas. Os materiais da pintura mural romana segundo o tratado de Vitrúvio", Artis - Revista do Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras de Lisboa, 3, 2004, pp. 67-86.

Há referências a uma tradução em que trabalhava Pedro Nunes cerca de 1541, mas que não chegou a ser impressa e entretanto se perdeu.

Online estão disponíveis, pelo menos, as seguintes edições (na maior parte dos casos sob a forma de imagem):

Comentários:

Comentário de rmbordalo :

Parabéns pelo seu blogue!
No interesse apenas dos mais estudiosos deixo apenas um link para uma tese de doutoramento, no campo da filologia, sobre um códice vitruviano existente em Espanha. O link é http://www.cervantesvirtual.com/FichaObra.html?Ref=3601