quinta-feira, 2 de junho de 2011

Metodologia e linguagem de trabalhos académicos
(5) Falta de espaço

Mais ou menos de repente, parece que se tornou moda. Por todo o lado, inclusivamente em prestigiadas revistas internacionais, as grandezas surgem expressas por um número com a respectiva unidade encostada a esse mesmo número, por exemplo, 20%, 25ºC ou 10cm em vez de 20 %, 25 ºC e 10 cm, respectivamente, não existindo, portanto, um espaço. Possivelmente o caso mais comum é o da percentagen, outro igualmente muito frequente é o da temperatura expressa em graus Celsius, mas a situação acaba por ser mais ou menos geral.

No caso da percentagem o uso da unidade encostada ao número inclusivamente está estipulado num dos livros de estilo da maior sociedade científica mundial, a American Chemical Society (Anne M. Coghill, Lorrin Garson (ed.), The ACS Style Guide. Effective communication of scientific information, 3.ª ed., Washington - New York, American Chemical Society - Oxford University Press, 2006, p. 203).

No entanto, a falta de espaço entre um número e a sua unidade do ponto de vista normativo é geralmente um erro na maior parte dos países. E é um daqueles erros que não deveria existir pela simples razão de o uso do espaço estar estabelecido na mesma norma internacional que o uso do símbolo “%” para representar a percentagem, de “ºC” para representar graus Celsius e de “cm” para representar o centímetro. Essa norma é o Sistema Internacional de Unidades (SI), do Gabinete Internacional dos Pesos e Medidas, sistema esse que teve origem no sistema métrico decimal criado durante a revolução francesa e no depósito nos Arquivos da República, em Paris, de dois padrões de platina representando o metro e o quilograma, respectivamente, em 1799.

O facto de os Estados Unidos serem um dos raros países do mundo que não adoptou oficialmente o SI poderá explicar a referida norma da American Chemical Society, mas não explica a falta de espaço noutros países, como, por exemplo, Portugal. Aliás, Portugal foi um dos primeiros países do mundo a adoptar esse sistema, o que aconteceu em 1852, depois de em 1814, numa atitude pioneira, já ter adoptado um sistema decimal equivalente.

Para que não restem dúvidas acerca da necessidade do uso do espaço entre um número e a sua unidade na maior parte das unidades, inclusivamente em percentagens, aqui fica a transcrição (com destaques meus) da última edição do SI (Le Système International d'Unités. The International System of Units, 8.ª ed., Sèvres, Bureau International des Poids et Mesures, 2006), que está disponível aqui:

“The numerical value always precedes the unit, and a space is always used to separate the unit from the number. […] The only exceptions to this rule are for the unit symbols for degree, minute, and second for plane angle, °, ', and ?, respectively, for which no space is left between the numerical value and the unit symbol. This rule means that the symbol °C for the degree Celsius is preceded by a space when one expresses values of Celsius temperature t” (p. 133).

“In mathematical expressions, the internationally recognized symbol % (percent) may be used with the SI to represent the number 0.01. Thus, it can be used to express the values of dimensionless quantities. When it is used, a space separates the number and the symbol %” (p. 135).

Comentários: